Não é um novo golpe de estado. O presidente ainda continua no seu posto, mas o primeiro ministro já  não estava trabalhando pelo interesse do país.

Bakary Mariko, porta-voz da antiga junta militar, justifica [fr] dessa forma porque o exército prendeu o ex-primeiro ministro maliano, Cheikh Modibo Diarra, que renunciou pouco depois com seu governo. Um diplomata afirma: “É Sanogo que está por trás dos acontecimentos. Enquanto não tivermos um verdadeiro governo de transição, continuaremos a ter estes problemas”. O desacordo entre o exército e o governo sobre a intervenção militar internacional no Norte do Mali foi mencionado como um dos motivos para a prisão.