Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Chile: Prisioneiros Mapuche finalizam greve de fome após 60 dias

Dois jovens, membros da comunidade indígena Mapuche do sul do Chile, foram sentenciados no dia 13 de agosto de 2012 a 541 dias na prisão por sua responsabilidade num ataque contra oficiais da polícia durante um confronto ocorrido no dia 2 de novembro de 2011 no setor rural da comuna Ercilla.

Paulino Levipán, 19 anos de idade, e Daniel Levinao, 18, iniciaram uma greve de fome no dia 27 de agosto de 2012, juntamente com Rodrigo Montoya Melinao e Eric Montoya Montoya, para protestar contra sua detenção. Estes últimos foram acusados de tentativa de assassinato de um policial que mantinha guarda da fazenda Centenario, na mesma comunidade Ercilla, em agosto de 2011. Eles ainda estavam enfrentando o processo de um julgamento oral.

No dia 25 de outubro de 2012, os quatro prisioneiros Mapuche decidiram abandonar o protesto depois que a Suprema Corte do Chile decidiu atender a algumas de suas demandas [en]. Eles já se encontram na enfermaria da prisão e estão recebendo alimentação.

Estêncil Mapuche, foto do usuário do Flickr, Paul Lowry (CC BY-NC-ND 2.0)

A corte máxima do Chile intercedeu legalmente [en]para anular, parcialmente, o julgamento que os incriminou. No caso de Daniel, um novo julgamento foi determinado porque ao primeiro faltou provas suficientes para se alcançar um veredicto. Quanto a Paulino, a corte mudou a acusação contra ele para danos físicos com base em “erros evidentes na aplicação da lei”, e portanto sua sentença foi modificada de 10 anos de cárcere para 3 anos de liberdade condicional.

A postura do atual governo

O Presidente Sebastián Piñera falou sobre a greve de fome [es] durante uma visita à comuna Ercilla neste mês de outubro, e deu eco à política de longa data do governo para lidar com confrontos com estas comunidades:

¿Vamos a permitir que ese intento de homicidio quede impune? La justicia llegó a un fallo definitivo y por tanto pienso que si ellos cometieron un delito, la huelga de hambre no es legítima ni eficaz”

Vamos permitir que esta tentativa de homicídio passe sem punição? A Justiça deu um veredicto final e portanto acredito que se eles cometeram um crime, a greve de fome não seja legítima e nem eficaz.

O conflito

O vídeo a seguir, adicionado pelo usuário do YouTube, PipeHenriquezO, resume, em 30 segundos, o conflito Mapuche no Chile. O conflito concentra-se em reivindicar a preservação e a autonomia das terras na qual eles tem habitado ao longo dos séculos e que estão sendo, atualmente, exploradas devido aos recursos naturais:

Assim também, no blog The Ambivalent Abyss você encontra uma galeria de fotos do movimento Mapuche ao longo dos tempos.

Internautas também têm feito comentários sobre os vários relatos dos protestos em favor dos Mapuche, das reações do governos e das diversas reportagens televisivas que saíram a respeito da questão. As opiniões são conflitantes.

O jornalista e jogador de golfe Alejandro Bascur (@AlejandroBascur) [es] ficou contente depois que um programa foi ao ar na televisão nacional:

@AlejandroBascur: Notable informe especial TVN. Al fin se Muestra el terror q siembran los mapuches en el sur, sin ningún respeto por DDHH #InformeEspecial

@AlejandroBascur: Grande reportagem especial da TVN (Televisão Nacional do Chile). Eles estão finalmente mostrando o terror que os Mapuche plantam no Sul, sem qualquer respeito aos direitos humanos #InformeEspecial

Referindo-se às declarações feitas pelo Presidente Piñera, o jornalista e blogueiro [es] Francisco Méndez (@Franmen) [es] assinalou:

@Franmen: El Presidente Piñera podría prestar el mismo respaldo que brinda a policías ,a los estudiantes y a los Mapuche cuando se los estigmatiza

@Franmen: O Presidente Piñera deveria dar aos estudantes e aos Mapuche estigmatizados o mesmo apoio que dá à polícia.

Além disto, o jornalista, escritor e blogueiro Mapuche, Pedro Cayuqueo (@pcayuqueo) [es], afirmou:

@pcayuqueo: Cuesta hablar del trasfondo del tema mapuche cuando lo que gatilla los debates es la cronica policial. Aun asi, algunos lo intentamos.

@pcayuqueo: É difícil fazer um histórico da questão Mapuche quando o que suscita debates é a crônica policial. Mesmo assim, alguns de nós fazem a tentativa.

Enquanto isto, o blogueiro Mapuche, Punngey, postou os seguintes pensamentos[es] no Tumblr no que diz respeito ao término da greve de fome:

HOY, 60 días de ayuno…se acabó el conteo, 60 días de sacrificio por que la verdad saliera a flote, 60 días de lucha de coraje, de orgullo, de ese orgullo que acompaña a cada uno de quienes SOMOS mapuche, aunque hayan algunos por ahí que digan que ya no existimos, esperemos que esta lucha acabe pronto [...] a seguir luchando por que se vayan las forestales y represas de nuestras tierras, por la sanación de nuestra mapu, a seguir recuperando lo que se nos usurpó, y por fin caminar libres por nuestra mapu, que nuestros hijos no sigan creciendo con la represión en sus sueños…y que ellos si caminen por las tierras libres de nuestros abuelos…AMULEPE TAIÑ WEICHAN!!! WEWAIÑ. LA LUCHA CONTINÚA…

HOJE, 60 dias de jejum…a contagem terminou, 60 dias de sacrifício para trazer à tona a verdade, uma luta de 60 dias de coragem, orgulho, aquele orgulho que acompanha cada um de nós que É Mapuche, embora alguns digam que não mais existimos. Esperamos que esta luta termine logo [...] Vamos continuar lutando para que as companhias florestais e as barragens deixem nossas terras, pela cura de nossa (terra), para continuar em recuperação aquilo que foi retirado de nós para que, finalmente, possamos andar livremente em nossa mapu, que a nossos filhos não seja permitido continuar crescendo com a repressão preenchendo seus sonhos…e que eles possam caminhar pelas terras livres de nossos avós…AMULEPE TAIÑ WEICHAN!!! WEWAIÑ. A LUTA CONTINUA…

Bandeira Mapuche, autoria de Diego Martin, usuário do Flickr (CC BY-NC-ND 2.0)

Este post está fechado para comentários