Fechar

Faça uma doação para manter o Global Voices no ar!

Cobrimos 167 países. Traduzimos em 35 idiomas. Somos o Global Voices.

Somos mais de 800 colaboradores trabalhando juntos em todo o mundo para oferecer aos nossos leitores notícias que são difíceis de encontrar em veículos tradicionais. Não podemos, porém, fazer tudo isso sozinhos. Embora a maioria de nós seja voluntária, ainda precisamos de sua ajuda para apoiar os nossos editores, tecnologias, projetos de extensão e defesa de direitos online, além dos eventos de nossa comunidade.

Doe agora »
GlobalVoices em Leia mais »

Angola/China: Internautas Debatem uma Cidade Fantasma

Como ocorre em muitos países africanos, as pessoas em Angola dificilmente conseguem ganhar dois dólares por dia. O governo angolano iniciou um processo para desenvolver o país e alçá-lo ao mesmo patamar de outros países do mundo. Desta vez, a escolha foi um projeto de construção de apartamentos na região de Kalimba, distante cerca de 30km de Luanda, a capital. Para tanto, o governo contratou uma empresa chinesa, a China International Trust and Investment Corporation, que recebeu como pagamento o recurso natural do país: petróleo.

Os novos apartamentos na Nova Cidade Kalimba. Foto: cortesia de constructiondigital.com

A companhia chinesa fez o seu devido trabalho e construiu 750 prédios de apartamento de 8 andares. Cada apartamento seria vendido por 75 mil euros, um preço que não está ao alcance da população local, nem mesmo se financiado por 20 anos.

O blogueiro Francois-Xavier [en] pensa que o governo deveria usar o petróleo para desenvolver as indústrias locais, o que poderia prover empregos aos cidadãos:

Or how the exploitation of Africa’s natural resource benefits only banks and multinationals! Its quite a shame for an African government to go for such a move. Oil and natural resources revenues must be used to develop heavy industry, the main engine of any economy and which is sorely lacking in Africa. This will allow access to employment and a fair redistribution of wealth and thus increase the purchasing power of brave Africans. Africans are not needy for luxury. That’s a sheer lie that is being publicized by western corporatist media working with the tiny yet heavily corrupted African elite.

Ou como a exploração do recurso natural da África pode beneficiar apenas bancos e multinacionais! É uma vergonha para um governo africano adotar essa estratégia. Os lucros do petróleo e dos recursos naturais devem ser usados para desenvolver a indústria pesada, o principal motor de qualquer economia, e que tanta falta faz na África. Isso permitirá o acesso ao emprego e a uma redistribuição justa da riqueza, aumentando o poder de compra dos bravos africanos. Os africanos não estão carentes de luxo. Essa é uma mentira divulgada pela mídia corporativista ocidental, atuando em conjunto com a pequena, porém altamente corrupta, elite africana.

Comentando o preço dos apartamentos, ele diz:

That will take 20+ years to a man that has a wife and 4 children to pay up. A crazy one will ask:”Why does he have 4 children?” and I will answer him “Go to h***”. Do not drag Africa in your crisis spiral.

Vai levar mais de 20 anos para um homem com esposa e quatro filhos para pagar [a dívida caso compre o apartamento]. Algum maluco pode perguntar; ”Por que ele tem quatro filhos?” e eu vou responder “Vá pro inf****”. Não jogue a África em sua espiral da crise.

This is Africa [Aqui é a África] tenta explicar [en] por que há cidades fantasmas na China e em Angola:

It would be easy to condense the real reason for this craziness into one word, namely: “Communism!” – or maybe four words: “Communism and Marxism-Leninism” – considering that the one-and-only ruling party in the People's Republic of China is officially committed to these socio-political ideologies, but my gut-feeling tells me there’s more to this weird phenomenon of building cities well in advance than meets the eye.

History has proven that in almost every single country in the world where revolutionary socialist movements have taken root, and more so when the people are ruled by a one party state, that there is always a massive misallocation (legalized theft) of capital by the ruling government.

So what are these ‘Masters of Darkness’ planning now with the numerous, largely uninhabited, structures that are popping up in strange remote places, mainly in countries controlled by communist forces? These new cities with their tarred roads, patches of green lawn, and neat rows of apartment blocks surely cannot be for the benefit of the working classes, as the cost of purchasing an apartment in any one of these new developments is well out of reach for the average working-class family. The communist manifesto that claims, “…we represent the interests of the working classes,” is thus complete and utter bullshit!

Seria fácil condensar a real razão para essa insanidade em uma palavra, especificamente: “Comunismo!” – ou talvez quatro palavras: “Comunismo e Marxismo-Leninismo” – considerando que o partido único que comanda a República Popular da China está oficialmente comprometido com essas ideologias sócio-políticas, mas o meu instinto diz que por trás desse fenômeno da construção de cidades há algo mais.

A história provou que em quase todo país no mundo em que o movimento socialista revolucionário floresceu, e em especial naqueles países governados por apenas um partido, sempre há má alocação massiva de capital (roubo legalizado) sob o comando do governo.

Então, o que planejam esses ‘Mestres da Escuridão’ construindo essas estruturas numerosas, a maioria desabitada, em lugares estranhos e remotos, principalmente em países controlados por forças comunistas? Essas novas cidades, com suas estradas pavimentadas, gramados verdes aparados, fileiras elegantes de blocos de apartamentos com certeza não virão para o benefício das classes trabalhadoras, pois o custo de qualquer um desses empreendimentos está bem além das possibilidades de uma família de classe média. [Quando] o manifesto comunista afirma: “…nós representamos os interesses das classes trabalhadoras,” é portanto uma completa e absoluta besteira!

UChinaTravel blog escreveu [en]:

It is believed to be one of the largest new building projects on the entire African continent.

However, the reason this story received so much attention is the fact that the new development has been portrayed as a “Ghost Town,” as almost all 12,355 acres of the property are seemingly vacant. Nearly an entire year since the first round of 2,800 properties hit the market, only 220 have been sold.

Acredita-se que este é um dos maiores projetos de construção em todo o continente africano.

No entanto, a razão pela qual essa história recebeu tanta atenção reside no fato de que o empreendimento foi retratado com uma “Cidade Fantasma”, pois quase todos os 12.355 acres da propriedade estão aparentemente desocupados. Faz quase um ano desde que o primeiro lote de 2.800 apartamentos começou a ser ofertado no mercado, e apenas 220 foram vendidos.

Fauna postou comentários traduzidos de internautas chineses no site chinaSMACK. Abaixo está uma amostra desses comentários:

Those bunch of stupid losers have hyped/speculated the housing market all the way to Africa?

Aquele bando de estúpidos e perdedores foi especular/inflar (n)o mercado imobiliário lá da África?

[Head of Chinese Academy of Social Sciences's Africa Research Office] He Wenping says, “This a construction project that benefits everyone, as well as the foundation for African economic growth”. == Sounds familiar!

[O Chefe do Escritório de Pesquisa sobre a África da Academia Chinesa de Ciências Sociais] He Wenping disse, “Este é um projeto que beneficia a todos e impulsiona o crescimento econômico africano”. == Soa familiar!

Domestically [the country] keeps trying to tax us and raise the retirement age while squandering money abroad!!! China, I’m proud of you, I feel such pride!!!

Internamente [o país] fica tentando nos taxar e aumentar a idade para aposentadoria enquanto esbanja dinheiro no exterior!!! China, tenho orgulho de você, é tanta honra!!!

The residential area is meant to help improve the people’s livelihoods —— Whether that’s the case there I don’t know, but over here its used to exploit us [with usury]!

A área residencial supostamente deve ajudar a melhorar os meios de susbsitência das pessoas —— Se é esse o caso lá eu não sei, mas aqui isso vem sendo usado para nos explorar [com usura]!

A bunch of unscrupulous businessmen who after cheating people out of their money in China have now gone to Africa to lose face for Chinese people.

Um bando de homens de negócios inescrupulosos que depois de enganar as pessoas e tomar seu dinheiro na China, agora foram para a África para queimar a cara do povo chinês.

Porém, um internauta contesta o uso do termo “cidade fantasma”:

BBC, this time you really have got it wrong, a “ghost town” according to China is a neighborhood where not a single person lives, and this new residential district in Angola no matter what still has a few people living there, so how can you guys say it is a “ghost town”????

BBC, dessa vez você realmente entendeu tudo errado, uma “cidade fantasma” para a China é um local onde nenhuma pessoa vive, e esse novo distrito residencial em Angola, apesar de tudo, tem algumas pessoas vivendo lá, então como vocês podem chamar isso de uma “cidade fantasma”????

O povo angolano poderá ter acesso a esses apartamentos, construídos com o dinheiro e os recursos naturais do país?

Regiões do mundo

Países

Línguas