Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Protestos contra censura na China

Raros protestos contra censura de imprensa na China estão se espalhando online e offline [en]. Os protestos começaram depois que um editorial do jornal Southern Weekend, também conhecido como Southern Weekly, foi censurado e reeditado pelo departamento de propaganda da província de Guangdong.

O incidente da censura

O editorial de ano novo de 2013 do Southern Weekend, “O sonho da China, o sonho de constitucionalismo”, foi reescrito sobre pressão de Tuo Zhen [en], chefe do Departamento de Propaganda de Guangdong. O novo editorial foi publicado, no dia 2 de janeiro de 2013, com a manchete: “Sonhos são a nossa promessa do que deve ser feito”. A intervenção resultou em uma ação coletiva de jornalistas e funcionários da redação, que exigiram uma ampla investigação.

Mais tarde, o departamento de propaganda ordenou o Sina Weibo, a maior plataforma de microblogues da China, a suspender as contas de editores e jornalistas do Southern Weekend, além de filtrar [en] e apagar todas mensagens relacionadas à censura.

Um grupo de estudante de jornalismo manifestou apoio ao jornal Southern Weekend. Foto: inmediahk.net [chi]. Em seguida, o departamento de propaganda ordenou o Sina Weibo, a maior plataforma de microblogues da China, a suspender as contas de editores e jornalistas do Southern Weekend e a filtrar e apagar todas mensagens relacionados à censura.

No dia 7 de janeiro, o departamento de propaganda forçou a alta direção do jornal a confiscar a conta oficial do veículo no Weibo e a emitir uma declaração enganosa, dizendo que, a edição de Ano Novo foi, na verdade, um trabalho coletivo de seus editores e da redação de “assuntos especiais”. Isso provocou uma reação de aproximadamente 100 funcionários do jornal, que emitiram uma declaração conjunta, e a equipe de jornalismo econômico anunciou uma greve.

Retaliação do departamento de propaganda

Logo depois, uma nota com instruções das autoridades de propaganda chinesa para todos os meios de comunicação vazou [en]. A nota frisava:

  1. O controle do partido político sobre os meios de comunicação é um princípio inabalável;
  2. O incidente não tem relação com o chefe do Departamento de Propaganda de Guangdong, Tuo Zhen;
  3. O agravamento do incidente está relacionado com a manipulação de forças estrangeiras hostis.

A rebeldia se espalha

No dia 8 de janeiro, todos os meios de comunicação chineses, online e impressos, foram obrigados a re-imprimir o editorial do Global Times. A edição trazia os três tópicos das instruções que haviam vazado. Os jornais Beijing News e o Xiangnan Morning Herald se recusaram a cumprir esta ordem. Na ocasião, o chefe da Central de Propaganda Chinesa entrou em cena e exigiu que eles imprimissem a edição no dia seguinte. Em resposta, o editor do Beijing News, Dai Zigeng, pediu demissão [en].

Protestos contra a censura de imprensa se espalharam online e offline. A população de Guangzhou reuniu-se em frente à sede do jornal Southern Weekend no dia 7 de janeiro, manifestando apoio ao jornal.

Leitores, estudantes de jornalismo, trabalhadores dos setores de mídia e comunicação, e diferentes grupos civis, dentro e fora da China, vêm coletando assinaturas, trabalhando na conscientização, postando mensagens de apoio e fotos de protestos em toda esfera online chinesa para combater a máquina de censura na China continental.

Nossa cobertura

9 de janeiro – Departamento de Propaganda Chinês ameaça dissolver o jornal Beijing News
8 de janeiro - China culpa “forças estrangeiras” pelos protestos por liberdade de imprensa
8 de janeiro - Censura enfrenta rara resistência com greve de jornalistas na China  [en]
7 de janeiro – China: Administrador do Sina Weibo revela práticas internas de censura (no GV Advocacy)
4 de janeiro - Jornalistas chineses exigem renúncia de chefe de propaganda local

Fontes:

Twitter Hashtags: #SouthernWeekly | #SouthernWeekend


Por favor, contate a editora do Global Voices para o nordeste da Ásia, Oiwan Lam (em inglês), se você tiver algum link, sugestões de paula ou se quiser colaborar com nossa lista de fontes. Se quiser escrever em português, entre em contato conosco.