Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Notícias de e

Investimento directo da China na Europa

Este vídeo de cinco minutos criado pela escola de negócios ESADE mostra onde o capital chinês é investido na Europa e analisa o que motiva as empresas chinesas a investir no estrangeiro. (via the China Observer)

Biblioteca digital de práticas tradicionais de cura é lançada nas Filipinas

philippine_health_researchPor meio de uma iniciativa de diversos órgãos governamentais, a Biblioteca Digital de Conhecimentos Tradicionais de Saúde das Filipinas (TKDL-Health na sigla em inglês) busca documentar e digitalizar práticas de saúde indígenas no país.

The communities, characteristically living in the mountains or their fringes, have depended mostly on plants and other natural products from the forest to prevent or treat sickness. But environmental degradation and the onslaught of lowland mainstream cultures now threaten their healing traditions.

As comunidades, tipicamente residentes das montanhas ou redondezas, dependem principalmente de plantas e outros produtos naturais da floresta para prevenir ou tratar doenças. Entretanto, a degradação do meio ambiente e o ataque da parte das culturas dominantes da planície atualmente ameaçam as tradições de cura [das montanhas].

Descarrilamento de comboio expõe ineficiência do sistema de transportes colectivos filipino

A train overshot it's stop at a terminal in Manila. Photo by Juan Carlo de Vela. Copyright @Demotix. (8/13/2014)

Comboio não conseguiu parar na devida paragem num terminal em Manila. Foto de Juan Carlo de Vela. Copyright @Demotix. (8/13/2014)

Descarrilamento de comboio provoca um elevado número de feridos, ao não conseguir parar num cruzamento movimentado a sul de Manila. O acidente provocou uma intensa discussão [en] em torno do débil e ineficiente sistema de transportes colectivos das Filipinas. As autoridades competentes prometeram melhorar os serviços ferroviários num contexto de crescente indignação pública em relação ao incidente.

Tráfico de rins humanos na China

Um caso judicial recente na província de Jianxi revelou informação privilegiada acerca do negócio de tráfico de rins humanos na China. Charles Liu do site the Nanfang.com publicou uma reportagem de investigação [en] sobre o funcionamento deste negócio clandestino.

… um homem de 21 anos quis provar à família que era financeiramente independente. Depois de saber através de um contacto QQ, que podia ganhar 25.000 CNY (3.000 euros) por vender um rim, decidiu ir para Nanchang.

Foto: Em Macau, 3.000 pessoas rodeiam a Assembleia Legislativa para impedir a “lei da ganância”

Para mais informações consulte o artigo prévio [en] do GV.

Praça da Paz Celestial torna-se um cemitério em charge política

O chargista chinês @badiucao divulgou sua mais recente produção para marcar os 25 anos do massacre de 4 de junho de 1989, na Praça da Paz Celestial (Praça Tian'anmen), em Pequim. Pelo Twitter, ele comentou seu desenho: “Se fizéssemos túmulos para as vítimas de 4 junho, toda a praça ficaria coberta de lápides”.

Vítimas de minas terrestres em Laos pedem ajuda

As minas terrestres plantadas durante a guerra do Vietname continuam hoje a ferir e a matar os residentes de Laos:

Phongsavath Manithong da Handicap International desafia a comunidade internacional a apoiar as vítimas de minas terrestres e de engenhos por explodir em Laos.

Feliz em Hong Kong

Inspirado no video-clip do cantor de rapper americano Pharrell Williams que viralizou, Happy, Helene Franchineau, jornalista francesa multimídia com base em Hong Kong fez um clip musical local: Happy (in Hong Kong) .

Filme mostra como uma tribo malaia está impedindo madeireiros de destruir suas terras

selungoSunset Over Selungo (Entardecer no Selungo, em tradução livre) é um documentário de 30 minutos sobre como o povo da tribo indígena Penan está defendendo o que sobrou da floresta tropical de Bornéu, na Malásia. O Bornéu é a maior ilha da Ásia. O filme foi feito pelo cineasta britânico independente Ross Harrison.

A Guerra da Beatriz: primeira longa-metragem de Timor-Leste

From Facebook page of East Timor and Indonesia Action Network (ETAN)

Imagem da página do Facebook da Rede de Acção de Timor-Leste e da Indonésia (ETAN)

A Guerra da Beatriz (Beatriz’s War) é o primeiro filme de Timor-Leste. É sobre a ocupação indonésia de Timor-Leste, desde 1975 até 1999, e o seu impacto na sociedade timorense.

De acordo com os produtores do filme, o mesmo foi “feito em estilo de guerrilha pelos homens e mulheres que lutaram na resistência armada e no movimento clandestino” contra a ocupação Indonésia.

Yasmine: Primeira longa-metragem do Brunei

O filme Yasmine destaca-se porque é a primeira longa-metragem do Brunei. Trata-se de uma jovem que queria ser campeã de silat, uma arte marcial indígena do Brunei. O filme foi bem recebido em vários festivais internacionais de cinema.

Melhoria do acesso à Internet no Camboja

Danièle Adler, uma consultora em estratégia de comunicação, apresenta uma visão geral [en] do avanço significativo no sector das TI no Camboja:

Há seis anos, menos de 10.000 cambojanos tinham ligação à Internet, sendo a mesma extremamente lenta. Actualmente, 2,5 milhões de pessoas têm acesso à Internet em casa e adicionalmente 2 milhões de cambojanos utilizam os seus smartphones diariamente para ficarem online.

Desenhos lamentam as mortes rituais de tibetanos

Em visitas à Índia, Tomoyo Ihaya conheceu tibetanos no exílio que sofriam com notícias de compatriotas que haviam se submetido à autoimolação. Ihaya, que mora em Vancouver, no Canadá, passou a dedicar um blog [en] aos seus desenhos, que prestam homenagem e pesar àqueles que fizeram o ritual “extremo de ‘oferecer’ seus corpos ao ‘fogo', pedindo liberdade e paz” para o Tibete.

Desenho de Tomoyo Ihaya para Phakpa Gyalsten, que se suicidou em 8 de maio de 2014 em protesto contra a China, por explorar as minas de Tongbar, no condado de Zogang, região de Chamdo, no Tibete.

Desenho de Tomoyo Ihaya para Phakpa Gyalsten, que se matou em 8 de maio de 2014 em protesto contra a China, por explorar as minas de Tongbar, no condado de Zogang, região de Chamdo, no Tibete

Birmânia: apesar do fim da ditadura, a liberdade de imprensa continua ameaçada

‘The Irrawaddy' destaca [en] as contínuas dificuldades vividas pelos jornalistas da Birmânia, apesar das reformas implementadas pelo governo:

…apesar das mudanças aparentes na forma como o governo lida com os media, a mentalidade subjacente continua a ser a mesma do passado: foi dado aos jornalistas um maior “espaço” para trabalhar, mas os limites desse mesmo espaço continuam a ser decididos pelo Estado.

Línguas de Moçambique e Timor-Leste em foco no Lusofalante

Calane da Silva, de Moçambique, e José Amaral, de Timor-Leste, são os entrevistados do nono programa radiofônico Lusofalante

O programa pode ser ouvido no blog Lusofalante. Clique na imagem para abrir.

Calane da Silva de Moçambique e José Amaral do Timor Leste dão voz ao nono programa Lusofalante. O programa pode ser ouvido no blog Lusofalante. Clique na imagem para abrir.

Calane da Silva, é poeta, escritor, jornalista, professor de Literatura Africana de Língua Portuguesa da Universidade Pedagógica e dirige o Centro Cultural Brasil-Moçambique, em Maputo. Neste programa ele fala das línguas em Moçambique, seu papel no processo de independência do pais além de analisar o léxico da Língua Portuguesa Moçambicana, que possui várias influências, inclusive asiática. Aborda aspectos históricos do processo da vinda dos escravos moçambicanos para o Brasil e de como somente sessenta anos após a Proclamação da República o país decreta a Abolição da Escravatura.

José Amaral, para além de músico e escritor, é também Adido Cultural na Embaixada de Timor-Leste em Lisboa. No programa ele fala das duas línguas oficias do Timor Leste, o português e o tétum, e também sobre a independência de Portugal nos anos 70 e a consequente invasão por parte da Indonésia. Ressalta a diversidade linguística do país e de como após a libertação total em 2002 começa o processo de reconstrução da identidade timorense.

O programa brinda-nos com a leitura do Poema de Filipinho, o Poeta da Fundação Casa Grande, no CE, Brasil, sobre o Lusofalante. As entrevistas são sublinhadas com as músicas “Flor”, de Maria João e Mário Laginha (Portugal), “Wa Mu Vona”, de Costa Neto (Moçambique) e “Tali Bole”, música tradicional timorense adaptada por José Amaral.