Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Notícias de e

Educação e arte no Suriname

[Este artigo contém links que levam a outras páginas, inclusive noutros idiomas, caso queira aprofundar o assunto].

Referindo-se ao livro Education Through Art, do crítico de arte inglês Sir Herbert Read, Carmen Dragman, do Srananart's Blog, avaliou o valor da arte na educação, sugerindo que o atual modelo caribenho prejudica os estudantes por não reconhecer seu poder como um escape criativo e uma ferramenta de aprendizado:

Teachers and policy makers often actually know that art education is important for each individual, but don’t actually realize as yet how important the subject is. These lessons are mostly seen as ‘means of relaxation’ but not as means of support. Surely not before tests and examinations…

Os professores e os políticos sabem que a educação artística é importante para cada indivíduo, mas não perceberam o quão importante. Essas aulas são geralmente vistas como “formas de relaxamento”, ao invés de  ”uma forma de ajuda”. Obviamente não antes de testes e provas… 

Dragman acredita em aprender fazendo – movimento, jogos, modelagem – e cita vários exemplos de sua própria experiência no ensino, que confirmam o sucesso desta abordagem. Ela explica: 

If expressive education is given correctly, the cognitive, socio-emotional, sensitive, motoric, affective and creative development of the child will be stimulated. It is therefore very important that this subject be not only presented as an isolated subject, but be also integrated in the other school subjects.

Se a educação expressiva é aplicada corretamente, o desenvolvimento cognitivo, sócio-emocional, sensitivo, motor, afetivo e criativo da criança será estimulado. Por isso, é muito importante que este tema não seja tratado de maneira isolada, mas integrado as demais disciplinas escolares. 

Acordo de investimento com a China deixa jamaicanos com mais perguntas que respostas

ESTOU TÃO ESTUPEFACTA: QUEM dá a um Governo ESTRANGEIRO o DIREITO de ESCOLHER QUE TERRAS QUER?

Como parte de uma troca de investimentos, o Governo jamaicano concordou em ceder 1.200 acres (485 hectares) de terra ao Governo chinês – onde quer que seja. Cucumber Juice [en] tem questões fundamentais que sente que o Governo deve responder: Qual é o valor da terra? Como será usada? E se o terreno já estiver ocupado? Ela conclui que: “A Jamaica está à venda, está a ser vendida e não é de todo tão independente como os seus cidadãos e residentes gostam de pensar.”

Organização feminista porto-riquenha Taller Salud celebra 35 anos

A organização feminista local Taller Salud[es] (@tsalud), que se concentra na educação e prevenção na área sexual e reprodutiva, em Porto Rico, comemora o seu 35º aniversário. Trinta e cinco anos de luta e de trabalho duro. Actualmente, a organização trabalha principalmente com mulheres e jovens na cidade de Loíza, localizada na costa nordeste, nas seguintes áreas: HIV/DST, abuso infantil, agressão sexual, gravidez na adolescência e prevenção da violência doméstica, “a fim de reforçar os conhecimentos e competências relacionadas com auto-estima, anatomia, sexualidade, saúde emocional, estratégias de prevenção da violência, falar em público e envolvimento com a comunidade.”

Aqui fica um video que apresenta de forma sucinta o trabalho vital da Taller Salud [es]: 

     

Revista The Postcolonialist abre para submissões de artigos com tema ‘Locais de Casa’

Lançada recentemente, a revista e jornal online The Postcolonialist está fazendo uma chamada para contribuições para a próxima edição de seu jornal acadêmico. The Postcolonialist é uma publicação interdisciplinar e multilíngue apresentando pesquisa, comentários e produção criativa sobre, e a partir de, perspectivas e regiões pós-coloniais. A página sobre o projeto acescenta: 

Somos uma alternativa e avenida de interação por meio da qual acadêmicos, jornalistas, escritores e artistas de todo o mundo podem colaborar e participar de diálogos sobre cultura, poder e sociedade civil em regiões pós-coloniais, incluindo (mas não estão limitadas a) Américas, Caribe, África, Ásia, Oriente Médio e comunidades de diásporas em metrópoles de todo o mundo.

Submissões são aceitas em francês, espanhol e português. O tema para inverno/primavera 2014 do Jornal Acadêmico é “Locais de Casa”:

Procuramos peças que investigam as formas nas quais os espaços físicos e imaginários de familiaridade e de pertença (linguística, física, artística, política e social) são feitas e desfeitas na face de globalização, a tecnologia digital, e migração em massa. Desejamos obras inovadoras que contestam e redesenham os contornos de modos de pertença, criando novas “zonas” de nacionalidade e cidadania através da lente da geografia (de)colonial.

O prazo para submissões para o volume de inverno/primavera do Jornal Acadêmico, avaliado por colegas do trabalho, é 14 de fevereiro de 2014. Inscrições para outros tipos de artigos são aceitas continuamente. Perguntas e contribuições devem ser enviadas para editorinchief@postcolonialist.com.

Guiana: Mulheres não são objetos

[É] um retrocesso colonial racista e sexista, que remete a uma longa história de sexualização, mercantilização e coisificação do corpo da mulher de negra.

Code Red está tentando despertar consciência [en] para os perigos da publicidade sexista.

Paquistão: Uma visão holística da saga da filtragem de SMS

Fouad Bajwa [en] traz uma visão holística da recente polêmica da filtragem de conteúdos de SMS no Paquistão.

Haiti: Ventos de Mudança?

“Não é o contentamento que transforma uma nação, ou a cultura, ou a história do mundo; é, sim, a insatisfação com o status quo”: Throwing Down the Water [en] acredita que a mudança pode ser possível no Haiti.

Caribe: Atlas ambiental

Repeating Islands comenta link para o novo Latin America and the Caribbean Atlas of our Changing Environment [en] (Atlas América Latina e Caribe do Nosso Ambiente em Transformação), publicado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), que “usou mais de 200 imagens para destacar a diversidade de ecossistemas da região”.

Cubanos são agora utilizadores autorizados do Google Chrome

O Google Chrome finalmente torna-se “legal” em Cuba. A blogger Yoani Sanchez afirma que sente uma grande satisfação por “saber que a opinião dos cidadãos interessados na livre circulação de informação e de tecnologia influenciou a abolição desta proibição.”

Caraíbas juntam-se à luta na Nigéria: #BringBackOurGirls

Se os nossos filhos estivessem desaparecidos, gostaríamos que o mundo parasse para nos ajudar a encontrá-las. Nós… pedimos que… pense por que é que tão frequentemente os corpos das mulheres se transformam em campos de batalha, sobre os quais guerras são travadas. Este problema não diz respeito apenas a uma pequena cidade da Nigéria, mas sim a todas as jovens em toda a parte.

Tillah Willah [en] enviou uma carta a Goodluck Jonathan [presidente da Nigéria], pedindo-lhe que trate “do desaparecimento das 234 meninas em idade escolar em Chibok, Borno… com um pouco mais de urgência.”

Trinidade e Tobago: negócios sustentáveis

ICT Pulse [en] apresenta seis sugestões para tornar as empresas mais ecológicas.

New York Times destaca perfil de colaboradora cubana do Global Voices

Elaine Díaz no Global Voices Summit 2012, Nairobi, Quênia. Foto de @Rezwan.

Elaine Díaz no encontro internacional do Global Voices, 2012, Nairobi, Quênia. Foto de @Rezwan.

De acordo com o The Lede, blog do New York Times, a colaboradora do Global Voices em Cuba Elaine Díaz “deve ser a mais importante dissidente cubana da qual você nunca ouviu falar”. Elaine, no momento em visita aos Estados Unidos, teve seu perfil traçado no post “Cuban Blogger Who Reveres Castro Pushes for Reform” ["Blogueira Cubana que Venera Castro Exige Reforma"], de 11 de junho.

Amazônia: Plataforma Oferece Detalhamentos sobre a Floresta

InfoAmazonia é uma plataforma que aproxima organizações e jornalistas de 9 países de uma das áreas de maior biodiversidade do mundo, a ameaçada região amazônica, para a veiculação de notícias e relatórios. O website mapeia desmatamentos, incêndios, extração de petróleo e minérios, e convoca a participação do público para submeter informações e estórias.

Caribe: Imigrantes Antilhanos

The Caribbean Camera [en] relata que, dos 245 mil imigrantes que saíram do Caribe para o Canadá, as maiores populações vieram da Jamaica, seguidas pelos haitianos e depois por aqueles oriundos de Trinidad e Tobago.”

Jamaica: Bob, Nosso Herói

No momento em que a Jamaica considera tornar Bob Marley um herói nacional, Repeating Islands [en] comenta: “E eu sempre (erroneamente) presumi que Bob Marley já fosse um herói nacional. Realmente espero que ele em breve receba essa honra.”