Fechar

Faça uma doação para manter o Global Voices no ar!

Cobrimos 167 países. Traduzimos em 35 idiomas. Somos o Global Voices.

Somos mais de 800 colaboradores trabalhando juntos em todo o mundo para oferecer aos nossos leitores notícias que são difíceis de encontrar em veículos tradicionais. Não podemos, porém, fazer tudo isso sozinhos. Embora a maioria de nós seja voluntária, ainda precisamos de sua ajuda para apoiar os nossos editores, tecnologias, projetos de extensão e defesa de direitos online, além dos eventos de nossa comunidade.

Doe agora »
GlobalVoices em Leia mais »

Partido no poder organiza marcha para homenagear Presidente da República de Moçambique

Maputo, capital de Moçambique foi palco de uma marcha que tinha em previsão cerca de 20 mil simpatizantes da Frelimo como forma de saudação dos feitos do Presidente da República Armando Guebuza [pdf] pela sua governação durante os seus dois mandatos, o último a findar este ano. O presidente está no poder desde 2004 e completa 71 anos no próximo dia 20 de Janeiro de 2014. 

Essa marcha surge numa altura em que o país atravessa uma instabilidade política na zona Centro e Sul do país, caracterizada por confrontos militares entre homens armados da Renamo e o exército moçambicano.

Um foto-montagem de humor circulou na Internet. A imagem da "Marcha dos Patos" faz uma paródia em torno da justificação dada pelo Presidente à imprensa sobre o seu sucesso económico: enriqueceu a vender patos.

Um foto-montagem de humor circulou na Internet. A imagem da “Marcha dos Patos” faz uma paródia em torno do motivo do sucesso económico do Presidente, segundo o próprio, que terá enriquecido a criar e vender patos.

A marcha foi convocada pelo partido Frelimo, o único partido no poder desde a independência do país, e iniciou no mesmo lugar onde a 31 de Outubro de 2013 decorreu outra marcha contra uma série de raptos e a insegurança crescente no país, convocada pela Liga Moçambicana dos Direitos Humanos, Alice Mabota, que juntou na altura mais de 20 mil pessoas.

No dia 16 de Janeiro o primeiro secretário do partido Frelimo na cidade de Maputo, Hermenegildo Infante fez oficialmente o lançamento da marcha, “que visa resgatar a imagem do actual Presidente da República (…) que caiu no descrédito popular devido à sua má governação”, segundo noticiou o CanalMoz. Infante chamou a atenção aos que criticam o Presidente da República:

Eu tenho a certeza de que estas pessoas depois de cessar o seu mandato hão-de falar bem do presidente Guebuza.

António Jorge, um residente na cidade de Maputo, teve uma opinião diferente:

Pelo contrario iremos sentir a falta de sermos roubados pelo governo, que inventa leis e não cumprem. Sr. Infante não nos chama de ignorantes como Sr esta ser, solução leia a carta da renamo em imprensa e nos diremos onde vocês estão a falhar e onde eles estão a falhar e daremos soluções. O Sr. tem filhos porque não manda um dos seus filhos a guerra para o senhor poder sentir o que e perder um filho por causa da ignorância, ambição de um punhado de dirigentes do partido FRELIMO. Fala de segurança que segurança o sr tem nas ruas de maputo ? Os primeiros a roubarem a população são os trabalhadores do estado junto com os seus dirigentes, hoje temos mais medo da policia do que do ladrão.

Foto do Jornal @Verdade: "A marcha organizada pelo partido Frelimo, este sábado, para a exaltação do Chefe do Estado moçambicano, Armando Guebuza, pelos seus “feitos” nos seus dois mandatos e homenagem pelo seu 71º aniversário natalício, serviu principalmente para tornar evidente o que já se sabia, mas que algumas pessoas ainda teimam em não reconhecer: a impopularidade do Presidente da República perante o povo que dirige."

Foto do Jornal @Verdade: “A marcha organizada pelo partido Frelimo, este sábado, para a exaltação do Chefe do Estado moçambicano, Armando Guebuza, pelos seus “feitos” nos seus dois mandatos e homenagem pelo seu 71º aniversário natalício, serviu principalmente para tornar evidente o que já se sabia, mas que algumas pessoas ainda teimam em não reconhecer: a impopularidade do Presidente da República perante o povo que dirige.”

Luis Augusto Maraire, comentando a foto do Jornal @Verdade sobre a marcha (à direita), referiu que em vez da marcha, a Frelimo devia preocupar-se com a tensão política que se alastra no país:

a frelimo gasta tempo fazendo marcha pra exaltação da credibilidade de Guebuza, em vez de pensarem uma forma de pararem e pensar uma forma de parar o derramamento de sangue das zonas centro,norte e sul

Cesar Eurico Kawawa, cidadão residente em Nacala, elogiou ainda na mesma publicação a iniciativa da marcha tendo dito:

Guebuza Merece muito mais do que esta simples marcha. Guebuza fez muito para Moçambique e pelo povo moçambicano, mesmo que o SUCESSO ALHEIO incomode aos que se recusam a ver os feitos deste Herói da Luta Contra a Pobreza! Bem haja Guebuza!

Outros criticaram o facto de terem sido usados bens do Estado para fins partidários, como um mini bus da Direcção de Educação que serviu para transportar cidadãos para a marcha. 

Beto Dias Pikles repudiou o facto de se ter usado a Televisão Pública para a transmissão em directo da marcha:

Os verdadeiros mocambicanos nao aderiram as idiotices cometidas pela Classe Governante pese embora seja um direito constitucional. Algo que deixa-me estupefato eh o porque duma [televisão] publica onde os impostos de milhoes de cidadaos a faz funcionar vai transmitir em directo uma marcha? Habitualmente minhas sobrinhas tem estado em frente ao ecra logo pela manha pra acompanhar programas que elas gostam e hoje a TV foi mais uma vez partidarizada.

A marcha foi relatada no Twitter com a hashtag #MarchaSaudaçãoGuebuzaUlla Andren, embaixadora da Suécia em Moçambique considerou cômica a organização dessa marcha:

Regiões do mundo

Países

Línguas