Fechar

Faça uma doação para manter o Global Voices no ar!

Cobrimos 167 países. Traduzimos em 35 idiomas. Somos o Global Voices.

Somos mais de 800 colaboradores trabalhando juntos em todo o mundo para oferecer aos nossos leitores notícias que são difíceis de encontrar em veículos tradicionais. Não podemos, porém, fazer tudo isso sozinhos. Embora a maioria de nós seja voluntária, ainda precisamos de sua ajuda para apoiar os nossos editores, tecnologias, projetos de extensão e defesa de direitos online, além dos eventos de nossa comunidade.

Doe agora »
GlobalVoices em Leia mais »

Global Voices e Agência Pública iniciam parceria

O Global Voices e a Pública – agência brasileira de jornalismo investigativo – iniciam hoje, 18 de fevereiro de 2013, uma nova parceria de conteúdo que permitirá enriquecer a cobertura do Global Voices com reportagens pautadas pelo interesse público e com um forte ângulo em vozes e iniciativas cidadãs.

Fundada em março de 2011, a Pública é uma agência independente que visa o fortalecimento do direito à informação, a qualificação do debate democrático e a promoção dos direitos humanos.

Em 2012, uma entrevista da Pública a Nilcilene Miguel de Lima, uma pequena produtora rural e líder local na Amazônia, alvo constante de ameaças de morte por parte de grileiros e madeireiros ilegais, motivou a colaboradora do Global Voices Thiana Biondo a escrever um artigo intitulado Pode a Economia Agrária Desenvolver-se sem Derramamento de Sangue no Campo? para a nossa cobertura especial Floresta em Foco: Amazônia.

Pública - Agência de Reportagem e Jornalismo Investigativo

Subscreva o conteúdo RSS da Pública no Global Voices, acompanhe as atualizações no Twitter (@agenciapublica) e no Facebook.

Mensalmente serão selecionadas histórias como a de Nilcilene, originalmente publicadas na Pública, com o objetivo de aprofundar temas da atualidade sob a perspetiva de cidadãos diretamente afetados. Os artigos serão garantidamente reproduzidos no Global Voices em Português e Espanhol, reforçando a relevância das reportagens da Pública para a América Latina como região alargada.

Natália Viana, co-fundadora e diretora da Pública, em entrevista ao blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight na altura do lançamento da Agência indicava:

no Brasil, como na América Latina, há um problema sério de partidarização dos veículos. A cobertura fica muito atrelada a interesses, tanto na mídia mais tradicional como na mais alternativa. O que a Pública pretende fazer e estimular é um jornalismo puramente de interesse público, doa a quem doer.

Para marcar o arranque da parceria, esta semana publicaremos uma série de artigos selecionados da cobertura #CopaPública – uma experiência de jornalismo cidadão que mostra como a população brasileira tem sido afetada pelos preparativos para a Copa de 2014 – e como está se organizando para não ficar de fora.

O primeiro artigo já está no ar: Carnaval e Copa, será que dá samba?

Regiões do mundo

Países

Línguas