Fechar

Faça uma doação para manter o Global Voices no ar!

Cobrimos 167 países. Traduzimos em 35 idiomas. Somos o Global Voices.

Somos mais de 800 colaboradores trabalhando juntos em todo o mundo para oferecer aos nossos leitores notícias que são difíceis de encontrar em veículos tradicionais. Não podemos, porém, fazer tudo isso sozinhos. Embora a maioria de nós seja voluntária, ainda precisamos de sua ajuda para apoiar os nossos editores, tecnologias, projetos de extensão e defesa de direitos online, além dos eventos de nossa comunidade.

Doe agora »
GlobalVoices em Leia mais »

Jornalistas chineses exigem renúncia de chefe de propaganda local

Esse artigo é parte de nossa cobertura especial: Protestos contra censura na China

O editorial de Ano Novo do jornal chinês Southern Weekend [en] – “O sonho da China, o sonho de constitucionalismo” – foi brutalmente censurado e reescrito [en] pelo chefe do Departamento de Propaganda de Guangdong, Tuo Zhen. A manchete do novo editorial foi “Sonhos são a nossa promessa do que deve ser feito”.

Em resposta, a equipe editorial do jornal emitiu uma nota explicando o incidente e a censura, nota esta que espalhou-se amplamente por meio do Sina Weibo, site chinês de microblogues.

Na sequência, a máquina de censura no Sina Weibo começou a excluir contas de jornalistas e editores empregados pelo Grupo Southern Media. Além disso, uma longa lista [en] de termos relacionados ao incidente foi filtrada pelo motor de busca Sina. O fato levou muitos a acreditarem que a intervenção editorial do departamento de propaganda de Guangdong foi endossada pela nova liderança do Partido Comunista Chinês.

Versão censurada da saudação de Ano Novo do Southern Weekly. Imagem da House News, com permissão de uso não-comercial.

Zhai Minglei, ex-jornalista do Southern Weekend explica [ch] o porquê de jornalistas e editores estarem indignados com o incidente:

有听说过新闻检查官枪杀稿件的,没听说过新闻检查官代写稿件的,就象沙皇用普希金名字写诗,这不仅是新闻界的奇耻大辱,也是人类新闻史的巨荒唐的鬼事。

Ouvi dizer que censores deletariam artigos, mas nunca ouvi falar que escreveriam de fato para a redação. É como se um czar russo escrevesse poesia sob a alcunha de Aleksandr Pushkin. Não se trata apenas de um incidente vergonhoso no circuito da notícia, mas um incidente bizarro na história da mídia.

Jornalistas exigem renúncia

Reagindo ao incidente, um grupo de ex-jornalistas do Southern Media publicou uma carta aberta [ch] exigindo que Tuo renunciasse à posição. A carta também conclama a nova liderança do Partido Comunista a entrar em ação para reestabelecer a ordem:

庹震的所作所為,與執政黨的利益完全背道也馳。如果媒體失去公信力和影響力,請問,執政黨靠什麼來發聲?靠什麼說服人民?這個部長所做的事情,讓人民和執政黨離心離德,怎可能會有利於黨的利益?現在他的所作所為,已被認為不僅僅代表廣東省委宣傳部層面,正如網上很多人在問:中央新領導集體這些天所營造的開明開放,究竟是真的還是假的?

A atitude de Tuo Zhen vai de encontro ao interesse do partido no poder. Se a imprensa perder credibilidade e o impacto, como o partido poderá convencer o povo? O gesto do chefe do departamento rompeu a conexão entre o partido do governo e o povo. Como isso pode ser de interesse para o partido? Muita gente acredita que o que ele fez não representa apenas o departamento de propaganda de Guangdong, as pessoas começaram a duvidar: a atitude aberta da nova liderança é verdadeira ou falsa?

Li Haipeng, também ex-repórter do Southern Weekend, ficou muito orgulhosa [ch] da ação coletiva:

我02年到南方周末,09年离开,亲眼见证它无一日不在严苛管制之下。一棵树,今日断其一枝,明日斩其一根,遮其阳光,截其水源,怎能长得健壮?何况还有媒体市场的巨大变革。南方周末是在衰落,但也就是它,尚有不甘做奴隶的精神,换作另一群人也许早就沉默死去,遑论有此次抗争。今天,我再次为之自豪。

Trabalhei no Southern Weekend entre 2002 a 2009. Ele vem operando sob a tirania [do departamento de propaganda] todos os dias. É como uma árvore morrendo lentamente, porque hoje alguém lhe corta um ramo, amanhã outro ramo. Daí, alguém vem e tapa o sol e barra a água. Como pode se manter saudável? Além disso, a transformação do mercado tem contribuído para a sua lenta decadência. Graças ao espírito que resiste à escravidão, o jornal continua a sobreviver. Se um outro grupo de pessoas estivesse gerenciando os meios de comunicação, já teria morrido sem nem fazer barulho e você não veria a resistência [como esta carta aberta]. Hoje, sinto-me orgulhosa de novo.

Censura endossada pela Autoridade Central?

Enquanto isso, Hua Chunying, porta-voz do Ministério do Exterior, disse em entrevista coletiva [zh] que não estava ciente do incidente, enfatizando que a China não tem um sistema de censura de notícias, uma vez que a lei chinesa protege a liberdade de imprensa. Tal recusa atraiu uma grande quantidade de comentários sarcásticos e irritados, ao ponto de Sina Weibo precisar fechar a seção de comentários.

Se por um lado as mensagens de protesto dos jornalistas são fortemente censuradas, por outro, microblogues que apoiam a censura são promovidos no Sina Weibo. Essa é a razão pela qual os internautas suspeitam que a prática da censura recebeu o endosso do Departamento Central de Propaganda. O microblog de @shanbang [cn] (上邦实业), por exemplo, é muito visível no motor de busca:

【支持党中央整肃南方系】由利益集团和海外势力操纵的南方系媒体一直充当西方和平演变中国的马前卒,甚至颠覆民族立场为日本侵略中国开脱罪行,拿着国家的福利干着反党反社会主义的勾当,典型的扛着红旗反红旗,如今党中央派庹部长果断整肃南方系彰显了民族复兴之决心,由衷地向党中央、习总书记致敬!

[Apoie os líderes comunistas no aperto ao cerco do gerenciamento do Grupo Southern Media] O Grupo Southern Media vem servindo aos interesses de grupos ocidentais para transformar a China pacificamente. Ao ponto que justifica a invasão japonesa na China contra a sua própria nacionalidade. Ele recebe subsídios do governo enquanto se envolve em atividades contrárias ao Partido e anti-socialistas. Trata-se do típico ato de segurar a bandeira vermelha, ao mesmo tempo que se luta contra a bandeira vermelha. Agora aquele oficial do Partido, Tuo, está sendo decisivo no aperto ao cerco [aderência] à gestão do Grupo Southern Media. A ação reflete a determinação do Partido de promover o renascimento da nação chinesa. Temos que mostrar o nosso respeito à liderança do partido central e ao governo Xi Jinping.

No Twitter, muitos acreditam que Tuo conta com a benção da autoridade central nesse escândalo. Tufu, ex-trabalhador da mídia, acredita [ch] que Tuo não passa do executor:

庹震敢这样,当然不是他个人的事,你以为他傻逼啊?人家揣摩上意,替上面做想做的事,人家才不会傻逼到自己违背上意乱搞,能爬到这位置,这点本事还是有的,所以我说最坏在上面,走苟只是执行意图。

Claro que não foi um ato pessoal de Tuo Zhen. Você acha que ele é tão estúpido assim? Ele está apenas servindo ao seu senhor e não vai contra a vontade do mestre. O próprio fato dele ter sido promovido a esta posição implica que é bom adivinhador do desejo de seu mestre. Ele é apenas um executor. Os bandidos estão no topo.

O comentário de Mozhixu ressoou [ch] com o julgamento de Tufu:

中国确实没有新闻审查制度,而是主管主办制下的新闻自查制度,针对南方报业的整顿只是个特例,这也反衬出此次庹部长的作为的来头很大,蓄谋已久,并非心血来潮。

Estritamente falando, a China não tem um sistema de censura de notícias, e sim um sistema de auto-censura, sob a supervisão das autoridades. A repressão do Grupo Southern Media é um incidente especial [que se afasta da prática existente]. Ele também reflete que a atitude de Tuo, chefe de departamento, foi bem planejada e não um impulso.

No entanto, Ran Yunfei acredita [ch] que interesses departmentais estejam no bojo no incidente:

阶层悬殊正在分离中国,部门利益正在切割中国,公安部交管局的新规给交管局巨大的利益寻租空间,自我壮大其行业腐败。庹震擅改《南方周末》新年献词,说明强奸言论自由的人都有自我示范的冲动。《人民日报》改版称新的一年将努力“说真话”,这可能是它63年来硕果累累谎言中的又一个谎言

Interesses de classe e departamental estão desmantelando a China. Por exemplo, uma nova regulamentação sobre gestão do tráfego deu mais espaço para o departamento de transporte ganhar e expandir e, assim, mais oportunidade para a corrupção. O impulso de Tuo Zhen de estuprar a saudação de Ano Novo do Southern Weekend é um desejo de executar [a função departamental]. Enquanto o jornal China Daily afirmou recentemente que faria o que estivesse ao alcance para “falar a verdade” no ano novo, esta pode vir a ser a maior mentira de seus 63 anos de história.

Esse artigo é parte de nossa cobertura especial: Protestos contra censura na China

Regiões do mundo

Países

Línguas