Natalie Southwick, blogueira americana baseada na Colômbia, escreve sobre a cadeia de produção da cocaína e pede a seus conterrâneos para pensar como os americanos estão perpetuando o ciclo de violência e exploração ao alimentar a demanda por cocaína: “Pelo menos, pense antes de cheirar”.

Pode ser que a Colômbia seja um dos maiores produtores mundiais de cocaína, mas os EUA são, de longe, os maiores consumidores. Não é por acaso que, nos últimos anos, o norte do México se transformou em um pesadelo impestado de narcotraficantes e violência sancionada por cartéis – alguém tem que proteger aquela coca e garantir que ela chegue com segurança aos narizes das crianças ricas de cidades americanas.