Fechar

Faça uma doação para manter o Global Voices no ar!

Cobrimos 167 países. Traduzimos em 35 idiomas. Somos o Global Voices.

Somos mais de 800 colaboradores trabalhando juntos em todo o mundo para oferecer aos nossos leitores notícias que são difíceis de encontrar em veículos tradicionais. Não podemos, porém, fazer tudo isso sozinhos. Embora a maioria de nós seja voluntária, ainda precisamos de sua ajuda para apoiar os nossos editores, tecnologias, projetos de extensão e defesa de direitos online, além dos eventos de nossa comunidade.

Doe agora »
GlobalVoices em Leia mais »

Paraolimpíadas 2012: Início Bem-Sucedido, Histórias Únicas

Este artigo é parte da nossa cobertura especial Olimpíadas de Londres 2012 [en].

[Todos os links levam a artigos em francês, exceto quando assinalado] 

Entre 29 de agosto de 12 de setembro de 2012, 4.200 atletas de 166 países participam da 14a edição dos Jogos Paralímpicos em Londres e competem em vinte modalidades.

Este vídeo, postado pelo canal paralympicSportTv [en], apresenta os Jogos Paralímpicos:

Os organizadores precisaram de 15 dias após as Olimpíadas de Londres para reajustar tudo e tornar a infra-estrutura acessível.

Charles El Meliani escreve no site JOL press que um número recorde de ingressos foi vendido para estes jogos:

Londres a fait des efforts colossaux en matière de billetterie, mettant sans cesse en avant les Jeux paralympiques dans tous ses points de vente. Avec un résultat impressionnant : au total, ce sont déjà près de 2,3 millions de tickets qui ont trouvé preneur. Sur 2,5 millions mis en vente. En bref, ces Jeux pourraient bien se dérouler à guichets fermés : exceptionnel.

Londres empreendeu esforços tremendos em termos de venda de ingressos e divulgação, consistentemente colocando as Paraolimpíadas em destaque em todos os seus postos de venda. Os resultados são impressionantes: no total, dos 2,5 milhões de ingressos inicialmente planejados, quase 2,3 milhões já foram vendidos. Estes jogos podem muito bem ser um sucesso de vendas: simplesmente incrível.
The Burkina Faso delegation during the opening ceremony of the Paralympic Games

A delegação de Burkina Faso durante a cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos. Screenshot de um vídeo da cerimônia, fornecido por paralympicSportTv

Nem todos os atletas competindo nas Paraolimpíadas nasceram com deficiências. Jacqueline Mallet, no blog ‘Province de l'équateur’ explica e ilustra algumas das históricas singulares no post ‘“Eu fui dado como morto”: o incrível destino dos atletas com deficiência‘:

Certains de ces sportifs ont grandi avec leur handicap, tandis que d’autres ont dû apprendre à le surmonter à la suite d’une guerre ou d’un accident. Frappés par le destin, ils ont trouvé dans le sport un moyen de se reconstruire.

Alguns dos atletas cresceram com deficências, enquanto outros precisaram aprender a superá-las, como resultado de uma guerra ou de um acidente. Após um golpe do destino, eles encontraram no esporte uma maneira de se reerguer.

Mallet também escreve sobre a jornada de diversos atletas: Martine Wright, uma sobrevivente dos atentados ao metrô de Londres [pt]; Derek Derenalagi, um soldado nascido em Fiji, tido como morto; Rim Ju Song, o primeiro participante norte-coreano, que, há poucos meses, não sabia nadar; e Hassiem Achmat, que sobreviveu a um ataque de tubarão.

Noutro post no blog, intitulado ‘Um mutilado de guerra afegão rumo aos Jogos em Londres …‘, ela compartilha a história de Malek Mohammad, um afegão que perdeu ambas as pernas em 2005, ao pisar em uma mina terrestre perto de sua casa em Cabul.

Afghan swimmer Malek Mohamed at home before the Paralympic Games.

Nadador afegão Malek Mohamed em casa, antes dos Jogos Paralímpicos. Screenshot de um vídeo por Malek Mohamed, fornecido pela AFP no Youtube

No post ‘Antes vítima de guerra, agora herói paralímpico‘ [en], Damon van der Linde, em Freetown, Serra Leoa, nos conta a história de Mohamed Kamara, que tinha apenas quatro anos de idade quando foi capturado por rebeldes durante a guerra civil [pt]. Eles eventualmente cortaram um de seus braços durante o cativeiro.

No site France Handicap Info,  Stéphane Lagoutière escreve:

L'autre grande star de ces jeux seront bien sur les déficients mentaux, avec un retour après 12 ans d'absence.

É claro, o outro grande acontecimento destes jogos será o retorno dos atletas com deficiência mental às Paraolimpíadas, eles estão voltando 12 anos após sua última participação nos jogos.

Na França, apenas um canal de televisão regional transmitirá todos os eventos.

No Twitter, o usuário @ThePositive1 postou uma foto do time jamaicano.

Este artigo é parte da nossa cobertura especial Olimpíadas de Londres 2012 [en].

Regiões do mundo

Países

Línguas