Fechar

Faça uma doação para manter o Global Voices no ar!

Cobrimos 167 países. Traduzimos em 35 idiomas. Somos o Global Voices.

Somos mais de 800 colaboradores trabalhando juntos em todo o mundo para oferecer aos nossos leitores notícias que são difíceis de encontrar em veículos tradicionais. Não podemos, porém, fazer tudo isso sozinhos. Embora a maioria de nós seja voluntária, ainda precisamos de sua ajuda para apoiar os nossos editores, tecnologias, projetos de extensão e defesa de direitos online, além dos eventos de nossa comunidade.

Doe agora »
GlobalVoices em Leia mais »

Guiné-Bissau: Assassinato do presidente traz risco de instabilidade

O presidente da Guiné-Bissau João Bernardo Vieira foi assassinado na madrugada de hoje, segundo consta por soldados desertores no momento em que tentava fugir de casa. O crime aconteceu poucas horas depois do assassinato de seu rival de longa data e tenente-general das forças armadas, Batista Tagme, morto por uma explosão de bomba na noite de domingo. Embora os motivos para os crimes ainda não sejam conhecidos, os assassinatos fizeram soar um alarme quanto ao risco de instabilidade na jovem república do oeste da África.

António Aly Silva vem acompanhado os eventos a medida que eles se desenrolam. Em sua última postagem, o blogueiro traz a notícia de que serão 7 dias de luto nacional pelo assassinato do presidente e dois funerais de estado. Ele promete publicar fotos exclusivas dos funerais amanhã:

Nino Vieira tera sido assassinado(?) AAS

posted by Oremos @ 4:51 AM
Amanhecer violento
Estamos debaixo de fogo de armas automaticas ha mais de 30 minutos – e que armas! AAS/mobile

posted by Oremos @ 4:51 AM
Domingo, Março 01, 2009
Manobras militares em Bissau
Hoje, uma violenta explosao abalou o Estado-Maior General das Forças Armadas guineenses.
No hospital, vi 4 feridos, dois deles em estado grave e com queimaduras.
Corre a noticia de que o CEMGFA, tenente-general Tagme Na Waie esteja morto. É a Guiné-Bissau no seu melhor. Escrevi esta noticia com alguma dor. AAS

Essa notícia fez Jorge Rosmaninho, que tinha colocado um ponto final em seu blogue Africanidades no ano passado, voltar a blogar novamente. Ele publica a foto abaixo e pergunta:

nino_tagme

Quem mataria quem, primeiro? Afinal morreram os dois.

O repórter Luis Castro apresenta o pano de fundo do relacionamento entre os dois homens:

Conheço muito bem a realidade da Guiné-Bissau e os seus jogos de poder. Acompanhei a guerra civil de 1998/1999, eleições, golpes de Estado, estive preso, fui interrogado de arma apontada à cabeça, fui sentenciado de morte e tive de fugir resgatado pelos fuzileiros portugueses. O que aconteceu ontem e hoje não foi novidade para mim. De resto, há muito que o esperava. O confronto entre o Presidente Nino Vieira e o chefe de Estado maior, não é de agora. Recordo que Tagma Na Waie era infértil devido aos choques eléctricos a que foi sujeito nos testículos (disse-me em entrevista ) pelos homens de Nino e combateu-o ferozmente durante a guerra. Mais tarde, apesar de o ter ajudado a regressar à Guiné e ao poder, Tagma voltou a afastar-se de Nino. Tudo se agravou ainda mais quando o Presidente tentou que o programa do governo de Carlos Gomes Júnior fosse chumbado. O chefe de Estado maior pôs-se ao lado do PM, dizendo que o governo fora eleito e, como tal, deveria governar. Era previsível que um deles iria morrer. Era Nino ou Tgama. Morerarm os dois.

Solidariedade

Blogueiros lusófonos, provenientes também de ex-colonias portuguesas, lamentaram o incidente e mandaram mensagens de solidariedade ao povo de Guiné-Bissau.

De Cabo Verde, João Dono diz:

Espero que, a semelhança do que aconteceu em Angola, a paz passa a reinar em na Guiné-Bissau. O homem com história de Nino Vieira só poderia ter este fim. Ele escolheu este caminho, um caminho que muito fez sofrer os nossos irmãos. Vamos acompanhar as horas e os minutos de angústia na Guiné-Bissau.

Também de Cabo Verde, Cesar Schofield Cardoso diz:

Passando à revista às minhas tropas dei por falta de…tolerância na Guiné-Bissau. Os demónios voltam a ensombrar este país, irmão de armas, que ainda não aprendeu a largar as armas. Terão matado Nino Vieira, em retalhação ao assassinato do Chefe do Estado Maior. Tempo de ódio na Guiné.

De Moçambique, Manuel de Araújo diz:

Muitas razoes para ajudarmos Guine-Bissau a encontrar o caminho da paz e da reconciliacao nacional. Onde andam os nossos pacificadores mor? Onde anda a CPLP? Onde anda a Uniao Africana? (…) Nao podem ajudar os nossos irmaos a respirar o ar puro da reconciliacao nacional?

Da Angola, Eugénio Costa Almeida diz:

Que a morte dos supostos arqui-inimigos sirva para a Sociedade Bissau-guineense criar uma Comissão de Verdade e Reconciliação e afastem dos espíritos as vinganças e façam da Guiné-Bissau um País enorme e próspero.

Guiné-Bissau tem uma população de 1,6 milhões de pessoas, e desde a independência em 1974 o país enfrenta anos de instabilidade. Mais recentemente, o país entrou no mapa como rota de tráfico de cocaína da América Latina para a Europa.

  • Perfirio Mendes

    queridos irmãos, fiquei muito feliz pelo vossos comentários sobre o nosso país, chega a hora de falar e colocarmos na prática e tentar esquecer o passado e seguirmos para frente na Guiné-Bissau.

Regiões do mundo

Países

Línguas